"E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." - Romanos 12:2

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Os quatro Cs do Cristianismo

Para finalizar o seminário de música, Christian Berdhal mostra os quatro "Cs" que estão na caminhada de todo cristão. Será que podemos tomar uma decisão ao lado de Cristo sem antes estarmos em um relacionamento com Ele? E como podemos aplicar, de uma maneira prática, os princípios vistos durante todo o seminário? Assista e compartilhe!



Fonte: Terceiro Anjo

sábado, 24 de dezembro de 2016

Música no culto a Deus

Depois de apresentar os perigos que estão na músicas seculares e até mesmo em muitas músicas da MCC ("Música Cristã Contemporânea" ou "Música Cristã Comercial"), Christian Berdahl mostra como deve ser a adoração por meio da música em nossas igrejas. Como eram utilizados os instrumentos descritos na Bíblia? E como isso se aplica à nossa adoração hoje? Confira!




sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Uma ilusão chamada rock!

por: Felipe Diemer Lemos

Desde que Jubal, irmão de Jabal, filho de Ada, tocou seus primeiros acordes de Harpa e Flauta, muita coisa mudou na música. Hoje em dia a música é um elemento de inegável influência em todos os seguimentos da vida. Os sons produzidos pelos mais diferentes instrumentos, ou pelas mais afinadas vozes são apreciados por todos, e é difícil encontrar alguém que não seja simpático a algum estilo musical.

Na bíblia, a música, identificada como principalmente louvor, sempre foi parte fundamental da adoração divina, figurando como uma forma poética e agradável de demonstrar gratidão a Deus. Também é tratada como um meio de fazer com que as pessoas desfrutem do refrigério espiritual e estejam em condições de se mostrar até mais sensíveis às mensagens provenientes do Céu. O rei Davi, por exemplo, costumava reunir em volta dele cantores e cantoras que celebravam as vitórias do rei e tornavam alegres suas horas de paz. O mesmo fez seu filho Salomão, por sinal um compositor da época .

Mas essa alegria obtida através da música aprovada por Aquele que é o criador de tudo, e inclusive dos sons e de suas harmonias, foi distorcida, adulterada, transformada.

Na década de 1950 surgiu um estilo musical inicialmente conhecido por poucos, mas que se tornou uma mania mundial: o Rock'n'Roll. O Rock cresceu e se tornou a música oficial dos que desejam a liberdade a qualquer custo, sexo sem fronteiras, alegria temporária, viagens regadas a álcool e drogas e que acreditam na violência como forma de resolver os problemas sociais.

O Rock apareceu como algo aparentemente inofensivo; no entanto é preciso ter em mente que ele influencia profundamente o pensamento daqueles que se dedicam a ouvi-lo e a sua atuação não se limita a uma área apenas.

O rock invadiu, sem pedir permissão, a consciência - especialmente da juventude - apresentando suas teorias caóticas do sexo, da moralidade, da religião, da liberdade. Os próprios roqueiros admitem essa intromissão. Veja o que Frank Zappa, líder da extinta banda chamada Mothers of Invention, declarou certa vez: "Música Rock é Sexo! As grandes bandas se encaixam com os ritmos do corpo". Marilyn Manson é um exemplo mais atual. Líder da banda de rock que leva o seu nome, sucesso comercial no fim dos anos 1990, Manson é um anticristão assumido. Ele deu entrevista certa vez à Imprensa Brasileira antes de um de seus shows de divulgando o Disco 'Antichrist Superstar', na qual ressaltou aspectos satânicos de sua produção musical. Algumas de suas apresentações contavam com atos tais como rasgar bíblias e praticar outras atrocidades contra os princípios estabelecidos por Aquele que criou a música.

Assim como Manson e Zappa existem diversos outros roqueiros que estão propagando mensagens contra Deus, contra a pureza, contra a bondade, contra a saúde. Como é o caso de um grupo brasileiro que apregoa o uso de drogas e tem o sugestivo nome de 'Planet Hemp' (Planeta Maconha).

Será que nós jovens - ou mesmo adultos - temos dado ouvidos à essa chamada cultura do Rock, um estilo musical aparentemente inofensivo, ou estamos com os ouvidos bem abertos para escutar o que tem a nos dizer o Originador da música como expressão de louvor sincero? O conselho de Paulo continua útil para ajudar-nos em nossas escolhas: 

"Finalmente, irmãos, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama; se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja este o que ocupe o vosso pensamento." - Filipenses 5:8.


O jornalista Felipe Diemer Lemos foi produtor da Rádio Novo Tempo de Florianópolis, SC. Atualmente é gerente da assessoria de comunicação da Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

O Movimento da Música Cristã Contemporânea II

Oitava parte da série “O Dilema da Distração”.

Christian Berdahl continua a análise do movimento da música cristã contemporânea. Veremos mais princípios que devem reger as nossas escolhas de músicas cristãs. As músicas cristãs devem se parecer com as músicas seculares para alcançar um maior número de pessoas? Será que uma música que fala sobre Jesus pode ao mesmo tempo transmitir uma linguagem sexual ou agressiva? As respostas a estas perguntas estão nesta palestra, de uma forma bastante interessante. Confira!




quarta-feira, 30 de novembro de 2016

O Movimento da Música Cristã Contemporânea I

Sétima parte da série “O Dilema da Distração”. Christian Berdahl aborda os cuidados que devemos tomar até mesmo em nossas escolhas de músicas cristãs. Mas que princípios devem guiar nossas escolhas de músicas cristãs? Uma letra bonita é o suficiente para que uma música seja aceitável? Descubra isto e muito mais!

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.” - 1 Coríntios 10:31



sexta-feira, 25 de novembro de 2016

História da Música 1991-2011

Sexta parte da série “O Dilema da Distração”. Christian Berdahl aborda a última fase da história da música, chegando até aos dias de hoje, comentando sobre artistas atuais e a influência de suas músicas.

Que mensagens os cantores da atualidade querem passar aos jovens? Qual é a linguagem corporal de suas músicas? Confira!




domingo, 20 de novembro de 2016

Cantores e suas influências

por: Cristiane Nogueira

Que as músicas podem nos influenciar, isso eu já havia dito, mas agora digo também que a vida dos cantores também podem levar influência para seus fãs.

Geralmente os fãs querem se parecer com seu ídolo, isso é tão verdadeiro, que a própria Bíblia menciona em Salmos, quando o salmista escreve um texto sobre os ídolos, e em um versículo está assim: "Tornem-se semelhantes a eles que os fazem, e quantos neles confiam" - Salmos 115:8. E não é assim? Não estou me referindo apenas à aparência, mas também nas atitudes.

Deus sabia que o ser humano seria assim, por isso escreveu nas tábuas dos 10 Mandamentos, com seu próprio dedo: "Não terás outros deuses diante de Mim" - Êxodo 20:3. Se adorarmos somente ao Senhor, vamos querer ser semelhantes a Ele no caráter. 

Agora pense no perigo de adorar cantores ou cantoras? O perigo de querermos ser semelhantes a eles? Pegue o exemplo da lindíssima Taylor Swift. 

A Taylor é uma cantora country que faz muito sucesso pelo mundo, principalmente no público adolescente e jovem. Essa cantora, em seu início de carreira, passava a imagem de uma garota doce, suas letras falavam de sonhos, (ela mesma escreve suas músicas). O fato é que ela mudou completamente, se relacionou com várias pessoas, se você fizer uma busca no Google, verá que a lista de namorados da Taylor é extensa. E o problema maior desses relacionamentos, é que a Taylor ficou muito ferida, traumatizada e passou a escrever músicas rebeldes, falando mal dos homens. Toda a dor que ela viveu, reflete nas suas músicas. 

Em seu último álbum, Taylor diz que teve inspiração na cultura dos anos 80, dizendo que lhe chamou atenção por sua rebelião. 

As meninas ficam ouvindo suas músicas, falando de rebelião, poder, etc, e depois não sabem porque estão piores ainda do que antes. Acabam tendo atitudes rebeldes e tratando os homens como cachorros, ou objetos descartáveis, e assim, ficam pulando de relacionamento em relacionamento, descontando em todo mundo suas frustrações amorosas. 

A Taylor Swift não é um exemplo a ser seguido, pois temos que buscar ajuda para curar nossas feridas, e não ficarmos revoltados com todo mundo. Se ela fizesse músicas que inspirassem as pessoas a mudarem sua vida, curassem suas feridas, buscassem a Deus, seriam músicas muito mais úteis. Mas será que ela teria tanto sucesso? 

Existem muitos outros cantores que levam influências negativas para os jovens, como a Miley Cyrus, que também era certinha, fazia programa para crianças, e de repente se transforma numa imagem super erotizada. Em seus shows, ela aparece de maneira mais depravada possível, incentivando de todas as maneiras a sexualidade e o uso de drogas. 

Por esses exemplos, e muitos outros, que devemos pensar naquilo que estamos colocando para dentro da nossa mente. Temos que pensar naquilo que nos tornaremos ao ficar seguindo pessoas assim. Se você ouve ainda música secular, olhe com outros olhos de hoje em diante. Reflita nas letras, reflita na mensagem que o artista está querendo deixar para você, já que suas músicas tem muito do caráter dele. Analise se esta música tem te deixado mais deprimido ou rebelde.

Precisamos ouvir músicas que nos levam para perto de Deus, que nos confortem, que nos dão esperança e alegria. É esse tipo de mensagem que deve entrar na nossa mente, para que possamos ser semelhantes ao nosso Criador. 


A música que agrada a Deus II

O vídeo a seguir foi produzido pela TV Terceiro Anjo em 2015 e aborda diversos aspectos relacionados à música no contexto da adoração a Deus e sua influência sobre os ouvintes. Com Hélio Pothin e Leandro Dalla. Confira!



A música que agrada a Deus I

O vídeo a seguir foi produzido pela TV Terceiro Anjo em 2015 e aborda diversos aspectos relacionados à música no contexto da adoração a Deus e sua influência sobre os ouvintes. Com Hélio Pothin e Leandro Dalla. Confira!



sábado, 19 de novembro de 2016

Perguntas sobre o livro "As Estratégias de um Anjo Caído"

por: Cristiane Nogueira 

1 - Por que este nome "As Estratégias de um Anjo Caído"?

Primeiramente, porque tenho visto muitos jovens, principalmente garotas, lendo livros sobre anjos caídos e os acham incrivelmente sedutores. Muitos filmes desse gênero também fazem sucesso entre os jovens. Quis "tirar a máscara deste anjo caído" e mostrar que eles são extremamente perigosos. 

2 - Do que se trata o livro?

Mostro que Satanás, o anjo caído, se rebelou contra Deus e desde então não faz mais nada senão tentar destruir os filhos de Deus. Por isso, ao longo dos séculos, ele tem armado estratégias para fazer com que as pessoas fiquem longe de Deus e, ainda por cima, o adorem.

3 - Como um ser humano normal pode adorar a Satanás?

Quando nós damos permissão para o inimigo entrar na nossa casa, na nossa vida, no meio da nossa família, nós o estamos adorando. Ele pode ser adorado direta ou indiretamente.

4 - Como posso saber se o estou adorando indiretamente?

Conforme o tipo de programas que sua família assiste, que tipo de músicas ouve, que tipo de livros lê, que tipo de filmes vê. Na verdade, podemos adorá-lo de diversas maneiras, mas neste livro eu abordo esses temas, mais diretamente ligados aos jovens.

5 - Este livro foi escrito para os jovens, então?

Para os jovens e também é um alerta para os pais. Eu, como mãe, sei como este mundo secular é atrativo para as crianças, para os adolescentes e para os jovens. 

6 - Não podemos assistir mais nada da TV, então?

Claro que se pudessem excluir a TV definitivamente de sua vida, seria melhor, mas se não quiser ser radical, tente ao menos selecionar os programas que irá assistir. Lembrando que Deus quer que você deixe entrar na sua mente somente tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo que é de boa fama... São alguns princípios que irão te direcionar.

7 - Este site foi criado com que finalidade?

Para dar continuidade ao meu livro. As estratégias do inimigo se renovam a cada dia e eu me sinto na obrigação de informar as pessoas.

8 - Por que tem um anjo caído na capa do livro?

Para chocar mesmo. Chamar atenção para algo sério. Mostrar que anjo caído não tem nada de glamour. Satanás é um anjo caído e seus anjos são demônios! Devemos ter cuidado com isso.


Se desejar adquirir o livro, entre em contato pelo e-mail: 

cris.nogueiraoliveira@gmail.com


Que Deus nos abençoe!

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

GBM - Gravadora Boa Música

Elias Reis de Azevedo foi pioneiro da música adventista no Brasil, fundou o primeiro quarteto evangélico do país e juntamente com sua esposa, Zilda Azevedo, compuseram, produziram e cantaram lindas canções gravadas pela GBM. Conheça um pouco mais dessa história inspiradora. Aproveite!



sábado, 12 de novembro de 2016

Livro "As Estratégias de um Anjo Caído"

O livro As Estratégias de um Anjo Caído foi escrito por Cristiane Nogueira, que além de escritora é palestrante, designer e professora de informática. 

A fim de alcançar seus objetivos, Satanás, o anjo caído, sempre procurou traçar estratégias para enganar e seduzir os seres humanos. Nesse livro, a autora mostra de forma clara algumas de suas estratégias mais eficazes para afastar de Deus o Seu povo e destruir as famílias. Esse é um assunto atual, relevante e de grande importância para adolescentes, jovens e pais. Há um capítulo inteiro sobre a indústria da música e sua influência. Confira!

O livro As Estratégias de um Anjo Caído poderá ser adquirido através do e-mail: 

cris.nogueiraoliveira@gmail.com

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

História da Música: 1960 a 1990

Esta é a quinta parte da série de DVDs “O Dilema da Distração”. O palestrante Christian Berdahl continua seu seminário sobre a história da música analisando os principais artistas do período de 1960 a 1990. 

Que impacto moral esses músicos causaram na sociedade? Como as filosofias satânicas podem ser vistas em gêneros como poprock e seus derivados? Será que apenas uma bela letra é capaz de tornar uma música aceitável a Deus? Confira!


sábado, 22 de outubro de 2016

História da música: 450dc a 1969

O vídeo a seguir traz a quarta parte da série de DVDs “O Dilema da Distração”. Christian Berdahl faz uma análise da música através da história até a chegada do rock’n roll. Quais foram as mudanças que a música sofreu no decorrer do tempo? Qual filosofia que muitos artistas do rock querem transmitir? Em que lugar esses artistas buscaram inspiração? Confira!

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Frases curiosas de celebridades da música VI


Os astros da música em entrevistas, shows, ou letras de canções costumam revelar detalhes interessantes sobre seu sucesso, sobre seu estilo de vida e suas crenças, e sobre suas posturas a respeito do Deus revelado nas Escrituras. A seguir, uma seleção de declarações de músicos famosos, extraídas de diferentes segmentos da mídia. Confira!

Paul McCartney (The Beatles)


"Nós [os Beatles] provavelmente parecemos antirreligiosos pelo fato de que nenhum de nós acredita em Deus [...] Somos todos agnósticos."

Fonte: Revista Playboy, fev. 1965








Kesha

"Eu acredito em karma, e acredito que se você colocar para fora vibrações positivas para todos, isso é tudo que você receberá de volta."

Fonte: www.ew.com, jan. 2010






Herbie Hancock
"E as pessoas estavam fora de si, por ser tão incrível o que ele estava tocando. Eu o deixei tocando por um longo tempo, talvez 10, 15 minutos. [...] Então, eu pude sentir-me acordando, pouco antes de retornarmos com a melodia da música. E eu poderia dizer que toda a banda acordou e havia alguma energia que era gerada a partir de Buster. Nós tocamos o set e foi como mágica. Quando terminamos, muitas pessoas correram até a frente do palco e estenderam suas mãos para apertar as nossas. Alguns deles estavam chorando, muito comovidos com a música. A música era muito espiritual também. Eu sabia que Buster era o catalisador para tudo isso, então eu o levei para a sala dos músicos e disse: ‘Ei, Buster, eu ouvi que você estava em alguma nova filosofia ou algo assim e, se ela pode fazer você tocar baixo como aquilo, eu quero saber o que é’." 

Fonte: www.beliefnet.com, 2007



Frank Morgan
"Achava-se que usando heroína era possível tocar como Charlie Parker"

Fonte: Revista Superinteressante, jan. 2005












Eddie Vedder (Pearl Jam)
"Pessoas no corredor da morte, o tratamento dos animais, o direito de escolha das mulheres. Muita coisa na América baseia-se em religião cristã fundamentalista. Cresça! Este é o mundo moderno!"

Fonte: Jornal The Guardian, ago. 2009










Raul Seixas

"Só há amor quando não existe nenhuma autoridade." 

Fonte: Livro Fala Rock: as máximas e mínimas do rock and roll, de Carmen Cacciacarro, p. 19


  








Kurt Cobain (Nirvana)
"Se você morre, você é completamente feliz e sua alma vive em algum lugar. Eu não tenho medo de morrer. Paz total após a morte, tornando-se outro alguém é a melhor esperança que eu tenho."

Fonte: searchquotes.com









Dave Matthews
"A ideia de que somos, de alguma forma, centralmente importantes para a existência do planeta é muito cômica - embora eu gostaria que nós fôssemos. Eu gostaria de pensar que os olhos de algum corpo celeste estão nos observando e dizendo, 'Oh, olhe para os meus filhos lindos.' Mas é um absurdo. É apenas a nossa tentativa de ser mais importante do que uma árvore."

Fonte: www.newsbusters.org, nov. 2007


quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Frases curiosas de celebridades da música V

Os astros da música em entrevistas, shows, ou letras de canções costumam revelar detalhes interessantes sobre seu sucesso, sobre seu estilo de vida e suas crenças, e sobre suas posturas a respeito do Deus revelado nas Escrituras. A seguir, uma seleção de declarações de músicos famosos, extraídas de diferentes segmentos da mídia. Confira!


Elvis Presley
"Pastor, sou o rapaz mais miserável que você já viu. Eu tenho todo o dinheiro que vou precisar para gastar. Eu tenho milhões de fãs. Eu tenho amigos. Mas eu estou fazendo o que você me ensinou a não fazer, e eu não estou fazendo as coisas que você me ensinou a fazer."

Fonte: Livro Hungry for Heaven: Rock 'N' Roll & the Search for Redemption, de Steve Turner, pg. 20. 







Haley Williams (Paramore)

"Eu estou envergonhada de dizer que, embora eu seja uma crente em Jesus Cristo e o reivindique como meu Deus, quando escrevi aquelas letras, eu não as estava dirigindo a Ele. Eu estava usando Seu nome casualmente. Em vão, para ser franca." 

Fonte: buzznet.com








Lionel Ritchie
"Eu nasci e fui criado como um cristão, mas aprendi com as minhas viagens que Deus tem muitos nomes. Quando você se vê como um cidadão do mundo, então você deve respeitar onde você está. Buda, Alá e Jesus todos levam à mesma coisa - a uma consciência superior." 

Fonte: Jornal The Guardian, mar. 2012


"Deus é o fundamento; Deus é a natureza; Deus é a vida. Deus é sobre tudo o que está ao nosso redor [...] O ponto é que Deus é o que eu prefiro chamar. Um poder maior no universo." 

Fonte: Hollywood TV, jun. 2007




Tom Petty
"Eu vi Elvis Presley quando tinha 11 anos. A partir desse ponto, a música tornou-se a minha religião, meu alimento. Foi também um refúgio seguro para mim. Minha vida era muito turbulenta quando criança e um pouco assustadora, e a música fazia tudo parecer certo." 

Fonte: Jornal Reno Gazette, ago. 2002




Sting
"Eu não me considero um cristão, há muito tempo. Minhas crenças são muito mais amplas do que isso. Eu não acredito que Deus é, necessariamente, católico ou islâmico ou qualquer outra coisa [...] é um conceito muito maior do que isso." 

Fonte: Jornal Hindustan Times, fev. 2005









Carlos Santana
"Tenho cristalizado toda a minha religião em nenhuma religião - em espiritualidade. Religião é finamente projetada para dividir e separar; espiritualidade traz unidade, perdão e compaixão." 

Fonte: Revista Enlightennext










Jason Mraz
"Religião limita a quantidade de mistério que verdadeiramente somos capazes de abraçar. Religião muitas vezes nos obriga a encontrar um deus enquanto ser espiritual significa, simplesmente, sentir o poder inacreditável em todas as coisas." 

Fonte: justjared.com, fev. 2009







David Bowie
"Eu era jovem, extravagante, livre e o budismo tibetano apelou para mim naquele momento. Eu pensei, 'não há salvação'. Ela realmente não funciona. Então eu passei por Nietzsche, satanismo, cristianismo [...] e acabei cantando. Tem sido uma longa estrada."

Fonte: Programa Ellen DeGeneres Show, 2004



sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Identificando a Marca da Mente

"Opus: Identificando a Marca da Mente" é a segunda parte da série de DVDs “O Dilema da Distração”. Christian Berdahl fala sobre um grande campo de batalha entre Deus e o diabo: a nossa mente. Será que a música pode transformar nosso caráter? O que a Bíblia, os testemunhos e a ciência têm a dizer sobre isto? Será que a própria indústria musical declara algo sobre o assunto? Confira!


sábado, 1 de outubro de 2016

Frases curiosas de celebridades da música IV

Os astros da música em entrevistas, shows, ou letras de canções costumam revelar detalhes interessantes sobre seu sucesso, sobre seu estilo de vida e suas crenças, e sobre suas posturas a respeito do Deus revelado nas Escrituras. A seguir, uma seleção de declarações de músicos famosos, extraídas de diferentes segmentos da mídia. Confira!


Jimmy Hendrix
"Eu acreditava em mim mesmo mais do que em qualquer coisa. E, suponho que de certa forma, que isso também é acreditar em Deus. Se existe um Deus e Ele te fez, então, se você acreditar em si mesmo, você também está acreditando nEle [...] Isso não significa que você tem que acreditar em céu e inferno e todas essas coisas. Mas isso significa que o que você é e o que você faz é a sua religião [...] Quando estou no palco, bem, essa é a minha vida inteira. Essa é a minha religião." - en.wikiquote.org






Mick Jagger (The Rolling Stones)
"Eu não creio no Livro Sagrado [Bíblia]. Eu não acho que muitas pessoas inglesas creem. [...] Como a maioria das pessoas inglesas eu não sou um grande crente. [...] Eu li o livro de Richard Dawkins e é muito persuasivo. Eu estou mais no temor do universo e isso não é realmente uma crença em Deus." - Jornal The Independent, 2007. 

"Matar por ideias é a forma mais perigosa de matar a todos [...] morrer por uma ideia, como na religião, é um absurdo." Revista High Times, 2003.




Sheryl Crow
"Eu acredito em Deus. Eu acredito em Jesus, Buda e Maomé e todos aqueles que foram iluminados. Eu não diria necessariamente que sou uma cristã rigorosa. Eu não tenho certeza se acredito no céu." - New York Post, set. 2005







Noel Gallagher (Oasis)
"Eu não sei o que eu sou. Se eu fosse um ateu eu teria acabado de escrever canções sobre não acreditar em Deus - mas eu não sei o que eu sou ... Eu certamente não acredito em religião, embora eu ache fascinante que tenha se tornado tão poderosa no mundo [...] mas eu não vejo a mão de Deus em ação no mundo em qualquer lugar." - Revista Clash, out. 2008





Rita Lee
"É arrogância do homem se achar filho de Deus. [...] O Deus que eu vejo é o universo." - mais.uol.com.br, mai. 2012













Jack Johnson
"Você pode ler a linha sobre 'Deus vestindo camuflagem' [letra de uma de suas canções] como 'Deus está em tudo'. A ideia de camuflagem, ele está misturando-se, ele está sempre em tudo ao redor ... Nada disso é verdade se você acreditar em qualquer forma de Deus, se você quiser chamá-lo natureza ou o cara com a barba grisalha." - Revista Huck, abr. 2008. 




Dave Grohl (Foo Fighters)
"Música, em algum momento da minha vida, tornou-se como a minha religião. Eu olhei para ela como algo que era mais do que apenas um disco de vinil ou mais do que um cartaz em uma parede." - Programa Enough Rope, ABC TV, mai. 2005. 











Peter Gabriel
"Houve sempre uma forte relação entre a música e a religião. É porque ambos estão ligados diretamente com o coração e podem ter poder real para o bem ou para o mal." - www.imdb.com







sábado, 24 de setembro de 2016

Frases curiosas de celebridades da música III

Os astros da música em entrevistas, shows, ou letras de canções costumam revelar detalhes interessantes sobre seu sucesso, sobre seu estilo de vida e suas crenças, e sobre suas posturas a respeito do Deus revelado nas Escrituras. A seguir, uma seleção de declarações de músicos famosos, extraídas de diferentes segmentos da mídia. Confira!


Madonna
"Acredito em Deus, acredito no Criador, mas minha relação com Jesus Cristo é diferente, porque questiono o Cristianismo, o princípio, a essência de tudo, o que resulta, a hipocrisia da religião organizada. Me considero uma pessoa muito espiritualizada e acredito plenamente em Deus mas não acredito em religião organizada. Foi isso que quis dizer em "Nothing Fails", não sou religiosa, mas quando rezo, me comovo, sinto amor, mas já não tenho convicções cristãs e por isso mencionei Cristo em algumas canções." - Programa Los 40 Principales, jun. 2003



Lady Gaga
"E a verdade é que há apenas uma coisa no mundo que eu realmente, realmente odeio. Alguém sabe o que é? Dinheiro! Mas há uma única coisa que odeio mais do que dinheiro: a verdade. Não gosto da verdade: gosto de uma boa dose de besteira todo dia!" - Livro Lady Gaga, a revolução do pop, de Emily Herbert.




Marvin Gaye
"Eu não acho que eu sou um cristão. Um cristão é um homem que segue a Cristo [...]. Minha igreja está dentro de mim." - Revista People, 16 abr. 1984








Frank Sinatra
"Cristo é reverenciado como o Príncipe da Paz, mas mais sangue foi derramado em seu nome que qualquer outra figura na história. Você me mostra um passo em frente em nome da religião e eu vou lhe mostrar uma centena de retrocessos." - Revista Playboy, 1963.










Little Richard
"Minha verdadeira crença sobre o rock é esta: eu acredito que este tipo de música é demoníaca." - Livro The Life and Times of Little Richard: The Quasar of Rock, de Charles White, p. 197.












John Lennon (The Beatles)
"A música rock tem a mesma mensagem de antes. É anti-religiosa, anti-nacionalista e anti-moralidade." - Livro Pop Goes the Gospel, de John Blanchard, p. 84.












Jimmy Page (Led Zeppelin)
"Havia sempre uma certa quantidade de especulações sobre seus estudos ocultos. Pode ter sido sutil, mas você não estava realmente escondendo aquilo."
Jimmy Page - "Eu estava vivendo aquilo. Isso é tudo o que existe a respeito. Era a minha vida - aquela fusão de magia e música."

"O seu uso de símbolos estava muito avançado. Os sigilos [símbolos de poderes ocultos] no álbum Led Zeppelin IV e o bordado em suas roupas de palco a partir desse período são bons exemplos de como você deixou sua marca na cultura popular. É algo que grandes corporações estão investindo agressivamente nos dias de hoje: o uso de símbolos como uma forma de marca."
Jimmy Page - "Você quer dizer magia talismânica? Sim, eu sabia o que estava fazendo. Não há muito a dizer sobre isso, porque quanto mais você discute, o mais excêntrico você parece ser. Mas o fato é que - por mais que eu estivesse preocupado - estava funcionando, então eu usei." - Revista Guitar World, jan. 2008

"Eu realmente não quero falar sobre minhas crenças pessoais ou meu envolvimento em magia. Eu não estou interessado em transformar alguém naquilo em que me tornei. Se as pessoas querem encontrar coisas, que as encontrem por elas mesmas." - The 10 Wildest Led Zeppelin Legends, Fact-Checked: Jimmy Page Worshipped the Devil, Revista Rolling Stone, nov. 2012. 



Raul Seixas
"Essa sociedade [Astrum Argentum*] simpatizou com a música 'Sociedade Alternativa' e com o trabalho que estávamos fazendo na época, que era uma reestruturação de todos os valores. Mas isso acarretou muitos prejuízos para mim. Essa mudança de valores não foi completa porque o governo não gostou. A AA me deu um terreno enorme em Minas Gerais para construir a Cidade das Estrelas, meu sonho na época. Tipo colocar o antiadvogado, o antiguarda, o antitudo... Mutação radical de valores mesmo. [...] Ela [a sociedade alternativa] sempre existiu, desde o tempo do Egito antigo. Inclusive o filósofo e estudioso Aleister Crowley, que é o papa maior dessa entidade, se baseou nos papiros egípcios, uma coisa de Osíris, Íris e Hórus – pai, mãe e filho." - Revista Bizz, mar. 1987

*Ordem filosófica baseada na Lei de Thelema (vontade). A canção "Sociedade Alternativa" e muitas outras composições de Raul Seixas contém citações do chamado Livro da Lei escrito por Aleister Crowley, que é considerado o pai do satanismo moderno.  

domingo, 18 de setembro de 2016

Frases curiosas de celebridades da música II

Os astros da música em entrevistas, shows, ou letras de canções costumam revelar detalhes interessantes sobre seu sucesso, sobre seu estilo de vida e suas crenças, e sobre suas posturas a respeito do Deus revelado nas Escrituras. A seguir, uma seleção de declarações de músicos famosos, extraídas de diferentes segmentos da mídia. Confira!



Renato Russo
"Estava me sentindo como se estivesse cometendo uma gafe, mandando mensagens através das minhas músicas, e as pessoas ficando sem saber ao certo o que estava acontecendo. Não é nem uma questão sexual, tenho a minha emotividade ligada a isso, é uma questão espiritual eu me sentir atraído por pessoas do meu sexo." - Revista Interview, jul. 1991 




Peter Tosh
“[A] espiritualidade e a inspiração são decorrentes da capacidade do reggae de ‘hipnotizar’ e fazer o ouvinte ‘sair de si’, isto é, a música é capaz de provocar no ouvinte o acesso a outros ‘estados de consciência’.” - Revista High Times, 1981 









Elton John
"Do meu ponto de vista, eu baniria a religião completamente. A religião organizada parece não funcionar. Transforma as pessoas em lêmingues cheios de ódio e não é misericordiosa." - Jornal The Observer, 12 nov. 2006




Alice Cooper
"Em uma sessão espírita, o espírito prometeu-me fama e o domínio mundial através do rock." - Documentário Occultic Tendencies in Rock Music, 1987











Paula Fernandes
“A doutrina espírita justifica muitas coisas que eu sinto, meu dom. Deus é um só! Mas eu não componho sozinha. E acho que não estamos aqui sozinhos. No momento em que leio [o que escrevo], vêm palavras que eu não conheço. Então, de onde vem isso?” - Programa Show Business, 19 jan. 2013




Michael W. Smith
"Eu sei que se eu for muito explícito acerca de meu cristianismo e falar sobre Jesus, não serei bem-sucedido na música popular. Mas puxa, eu não sou evangelista; sou cantor." - Wall Street Journal, 11 nov. 1991













Paul Stanley (KISS)
"Você pode pregar o evangelho do rock and roll e blues nesta guitarra. Você realmente pode testemunhar. Esta guitarra prega." - Guitar World Magazine, nov. 2008

"Se você odeia o KISS, Deus te ama." - Livro Fala Rock: as máximas e mínimas do rock and roll, de Carmen Cacciacarro, p. 98




Lita Ford
"Escute, rock'n roll não é de igreja. É um negócio sujo. Você tem que ser sujo também. Se você é bonzinho, você não pode cantá-lo nem tocá-lo." - Jornal Los Angeles Times, ago. 1988